Equipes de hospitalidade e eventos se adaptam aos cancelamentos por conta do COVID

Com a pandemia cancelando grande parte das viagens e reuniões pessoais, uma fonte de renda prevista para algumas organizações da Aliança, praticamente desapareceu em 2020.

Centro de conferência internacional Karimu, Alemanha

O centro de conferência internacional Karimur da Wycliffe Alemanha, foi inaugurado em Burbach-Holzhausen em 2016 e, em 2019, estava atendendo mais convidados do que o esperado. Então chegou março de 2020, quando a maioria das viagens internacionais foi suspensa. As reservas de quartos de hotel, salas de reunião e serviço de alimentação de Karimu pararam.

“Esperávamos cancelamentos, mas não estar vazio-vazio”, disse Rachel Poysti, Diretora do Centro de Conferências. “Foi uma sensação muito estranha, porque oficialmente não deveríamos fechar. Mas não poderíamos administrar uma pousada devido às nossas restrições. Basicamente, não tínhamos permissão para receber turistas, conferências, reuniões da igreja ou retiros, apenas alguns hóspedes para participar de funerais ou funcionários de empresas da região. Portanto, não fazia sentido manter o centro de conferências aberto.”

Karimu fechou por quase três meses, com os primeiros hóspedes retornando no final de junho.

“E tinham apenas 10 pessoas”, disse Rachel. “Ainda há pouca atividade. No momento, são apenas alemães. As restrições proíbem a maioria dos hóspedes internacionais de vir. Podemos receber convidados europeus apenas de áreas sem risco, mas a maioria de nossas conferências aqui em Karimu são para mais do que apenas europeus. Quase ninguém quer viajar ou reservar voos quando as restrições são tão incertas. Ninguém sabe quando as fronteiras serão abertas novamente, então, por enquanto todas as reservas foram canceladas.

“O planejamento é muito difícil”, acrescentou ela, “porque você recebe a solicitação de uma reserva de grupo, e ninguém se inscreve, e depois cancelam novamente. Tentamos não pedir comida com muita antecedência agora, pois os grupos cancelam. Não queremos desperdiçar comida.”

Fazendo ajustes

Passeios autoguiados sem contato são oferecidos na Wycliffe Discovery Center, Orlando, Flórida.

Na associação de tradutores da bíblia Wycliffe EUA em Orlando, Flórida; Kristie Frieze atua como vice-presidente de eventos e com a experiência dos hóspedes. Sua equipe gerencia a sala de reuniões no grande centro, junto com o serviço de alimentação, o museu da Wycliffe Discovery Center uma loja de presentes e um complexo vizinho de 40 apartamentos. Tudo fechado em março e reaberto em julho, com medidas extras de segurança e limitações.

Antes do COVID-19, os apartamentos normalmente eram alugados por uma ou duas semanas de cada vez. Agora, cerca de 10 unidades foram convertidas para hóspedes que ficam mais de cinco meses, disse Kristie. Isso atende especialmente aos membros da Wycliffe EUA que ainda não puderam retornar às suas atribuições de campo.

“Acredito que provavelmente vamos fazer isso no próximo ano”, disse ela.

Com o tráfego de pedestres reduzido na maior parte do ano, a equipe de Kristie teve a chance de testar as experiências online: passeios em vídeo no Facebook do Discovery Center. Um kit da Escola Bíblica de Férias Virtual para famílias fazerem em casa, ao invés de ter as 200 crianças que normalmente usavam o centro Wycliffe.

“Foi realmente um grande aprendizado para nós, em pensar sobre novas formas de fazer as coisas digitalmente”, disse Kristie. “Nossa equipe de projeto está procurando fazer programas no Zoom com as turmas, porque as escolas, mesmo que retornem, provavelmente não irão fazer uma excursão.”

Grupos externos da área imediata também têm alugado o auditório da Wycliffe EUA ou salas de reunião. Normalmente, muitas dessas reuniões seriam realizadas em restaurantes locais. Durante a paralisação, a Wycliffe se tornou uma boa alternativa.

“Algo bom para nós nesse momento, é que nossas instalações são grandes o suficiente para que muitos de nossos quartos ainda possam ser usados com distanciamento social”, disse Kristie.

Na Alemanha, as próximas medidas do país determinarão o que Karimu poderá fazer.

“Estamos pensando em todas as possibilidades”, disse Rachel. “É muito difícil planejar, pois ninguém sabe quando os grupos vão querer reservar novamente. Igrejas, por exemplo. Você não quer fazer um retiro usando máscaras e tendo que ficar distante. Portanto, também é uma questão de quando as pessoas querem se encontrar novamente. E é muito difícil planejar isso. Portanto, planejamos na melhor e na pior das hipóteses por enquanto. Mas não é nada definitivo.”

Recapção da associação de tradutores da bíblia Wycliffe EUA, Orlando, Flórida

Em Orlando, Kristie faz uma abordagem semelhante.

“Foi uma lição muito boa para nós, nos planos A, B e C”, disse ela. “Às vezes parece que dá muito trabalho. Tínhamos o plano A, de fazer alguns eventos de verão, então mudamos para o plano B e então cancelamos. Essas coisas são difíceis, mas são boas lições para aprendermos também. Porque, ao fazermos isso, nosso plano B pode ser usado em outra coisa.

“Isso está nos tornando mais flexíveis e criativos. Estamos criando novas formas de fazer as coisas. Como podemos gastar o mínimo possível para fazer isso? Porque talvez tenha que ser cancelado. Portanto, não quero investir muito nas coisas porque não sei o que vai acontecer.”

De uma perspectiva mais ampla e organizacional, as perdas desse ano foram parcialmente compensadas por conta da enorme redução das viagens. Isso não diminui a dor das demissões ou cancelamentos de programas, mas diminui o impacto geral no orçamento.

“Portanto, estamos gastando menos como organização, como um todo e, com meus cortes, tornei isso um pouco administrável para nós”, disse Kristie. “Veremos como isso se mantém a longo prazo aqui.”

Casa de hóspedes, mas poucos hóspedes

Casa de hóspedes da Wycliffe Togo

Várias organizações da Aliança complementam seu rendimento com a renda das pensões. Em um ano típico, a pousada Wycliffe Togo atende de 500 a 600 pessoas. Durante a pandemia, as únicas acomodações oferecidas foram para hóspedes estrangeiros temporariamente detidos pelo fechamento da fronteira, disse a Coordenadora de Comunicação Jennifer Agboli. A pousada não está oficialmente fechada, mas apenas uma pequena parte equipe permanece para fornecer serviço. Outros membros da equipe foram afastados por pelo menos cinco meses e os custos operacionais foram reduzidos ao mínimo, incluindo o corte do ar-condicionado. Para ajudar os colegas que que foram afastados, um amigo do Diretor da Wycliffe Togo, Abou Sama, enviou dinheiro para comida e outros tipos de apoio.

“Muito antes da crise”, disse Jennifer, “entendemos que devíamos orar para que a mão de Deus cubra, em particular, nossa organização e Sua missão em geral. Portanto, duas vezes por mês durante três dias, organizamos um programa de jejum e oração dentro da organização. Também aprendemos a necessidade de planejar e orar antes de uma crise, pois dependemos de Deus”.

No meio da pandemia, Wycliffe Togo ainda conseguiu manter o foco no exterior, produzindo informações de saúde pública em 16 das línguas maternas do país.

“Também vemos Deus nos mover além de nossa forma tradicional de trabalho quando se trata de ganhar dinheiro, ou criar estratégias de renda para manter a obra de Deus”, disse Jennifer. “Acreditamos que, durante esse período, Deus está nos levando a criar novas formas de complementar a renda da Wycliffe Togo, a fim de aliviar nossa tensão financeira.”

Lições Espirituais

O ano foi repleto de lições espirituais para pessoas cujo trabalho ministerial envolve o planejamento de eventos e hospitalidade.

“Acredito que para todos nós, tem sido interessante ver Deus se mostrar, Se revelar a nós e nos sustentar, pois esse é um período muito exaustivo”, disse Kristie. “Vamos abrir? Não vamos abrir? O que podemos fazer? O que o condado vai dizer a seguir? Acredito que colocar minha confiança nEle e deixar que Ele me sustente provavelmente foi minha maior lição.

Rachel Poysti (esquerda), diretora do centro de conferência internacional de Karimu e Gunter Mandler, gestor de contas

“E eu sou organizadora de eventos, então minha vida é pensar um ano no futuro. Isso tem sido muito interessante, apenas estar presente neste momento. Pensar um pouco sobre o futuro, mas ser flexível.”

Na Alemanha, Rachel apresentou pensamentos semelhantes.

A maioria dos meus trabalhadores não são crentes”, disse ela. “Então, para mim, essa é realmente uma chance de mostrar como passamos por uma crise como esta. Mas é a primeira vez para mim também. O que percebi é que nossa equipe está cada vez mais unida. Todos eles ajudam e querem fazer isso funcionar de alguma forma. Eu realmente sinto que Deus está no controle, não importa o que aconteça. Eu não sei o que vai acontecer, mas sei que vamos superar isso. Ele está no controle e minha equipe também percebe isso.”

Seu pedido de oração? Que as viagens e reuniões sejam retomadas com esforços vigilantes para manter as pessoas e as instalações livres de vírus.

“Se você tem 10 ou 15 reuniões via Zoom por semana, é cansativo”, disse Rachel. “Acho que as pessoas vão gostar de falar umas com as outras e isso pode ser uma boa chance para termos reservas novamente. Espero que isso aconteça novamente em breve.”

 

História: Jim Killam

As organizações da Aliança podem baixar as imagens dessa história.

 

A Pinyin-speaking woman looks through a newly dedicated New Testament.

Camaroneses refugiados encontram consolo nas escrituras traduzidas

Uma mulher de fala pinyin examina o Novo Testamento recentemente dedic...

Read more

A história de Kennya

“Você precisa falar com meu pai” Como uma jovem brasileir...

Read more

Uma vila cigana transformada

  Por Jurek Marcol Em 2017, a Associação Missionária Bíblica...

Read more