Repensando a consultoria: pandemia acelera a verificação virtual

Por Grace Chou /

Vista da Casa do Parlamento, Honiara. Foto: Elyse Patten

Restrições às viagens ao exterior durante a pandemia trouxeram uma bênção inesperada. O projeto de tradução bíblica “Bilua Bible”, nas Ilhas Salomão, desenvolveu uma verificação virtual com consultores internacionais o que eles não poderiam ter realizado de forma presencial (cara-a-cara).

No trabalho de tradução da Bíblia, a revisão de consultores é o passo final antes da tradução ser publicada. Mas não há consultores suficientes para realizar as verificações.

Ao longo dos últimos dois anos, a equipe de liderança da área Ásia-Pacífico da Aliança Global Wycliffe conduziu um estudo para descobrir quantos projetos de tradução na região necessitavam de revisão de consultores, e para conhecer as cargas de trabalho dos consultores existentes. Esta pesquisa foi parte dos esforços para incentivar uma maior partilha de recursos dos consultores entre organizações da Aliança na Ásia-Pacífico. A ideia é permitir que organizações com mais recursos de consultores ajudem projetos de tradução que necessitem deles.

Alterações provocadas pela pandemia

Quando a pandemia se desenrolou, a equipe de tradução do Antigo Testamento “Bilua”, nas Ilhas Salomão, procurou uma solução de consultoria para manter o trabalho progredindo. A equipe de liderança da Aliança Ásia-Pacífico sugeriu que tentassem um novo modelo, e convidassem diferentes entidades da Ásia-Pacífico a participar de revisões comunitárias para “Bilua” (tradução do livro de Reis). Os três consultores que participaram do projeto eram da Austrália, Singapura e Taiwan. A consultora australiana de tradução, Debbie Conwell, que tem servindo a um longo tempo nas Ilhas Salomão, atuou como a ponte intercultural conectando a equipe de Bilua com os consultores externos. A consultora de recursos cingapuriano “Shan” (pseudônimo) foi a conselheira. E a consultora de tradução de Taiwan fui eu, Grace Chou, que supervisionei a verificação dos consultores. A equipe de tradução de Bilua incluiu o tradutor Jonah Onama e um pastor.

Um garoto remando em uma canoa no rio que atravessa a capital, Honiara, nas Ilhas Salomão. Foto: Elyse Patten

A população de Bilua é de aproximadamente 5,000 pessoas. Há algumas décadas, os “Tradutores da Bíblia Wycliffe” traduziram o Novo Testamento para Bilua. Posteriormente, a Igreja de Bilua nomeou alguns tradutores para o Antigo Testamento. Cinco anos atrás, o primeiro tradutor morreu, e seu irmão mais novo, Jonah, continuou o trabalho. A tradução do Antigo Testamento de Bilua foi de fato elaborada. Entretanto, ainda não foi publicado devido à falta de financiamento para a revisão de consultores. Inesperadamente, a pandemia fez com que a revisão de consultores on-line fosse tanto possível quanto aceitável, e os custos mais baixos permitiram que os planos de publicação avancem.

Historicamente, os grupos de tradução da Bíblia nas Ilhas Salomão contam com apoio financeiro e recursos de organizações internacionais. Debbie salientou que os esforços de tradução da Bíblia nas Ilhas Salomão são liderados pela igreja local. No entanto, pelo orçamento apertado, completar e publicar a tradução é algo surpreendente. Como resultado, ela fica cheia de gratidão sempre que ela menciona como a pandemia ironicamente permitiu que os rascunhos completos fossem verificados.

mifala no lookim yu

(No sentido horário, a partir do canto superior esquerdo) Debbie Conwell, Grace Chou, Jonah Onama (direita) e o pastor, Shan trabalhando juntos em uma sessão de revisão no Zoom.

As ilhas onde o povo Bilua vive não têm eletricidade ou acesso à internet. Jonah e o pastor assistente precisam realizar uma viagem de barco de dois dias para o escritório de tradução na capital das Ilhas Salomão, Honiara, a fim de fazer login para verificações de consultores on-line. Havia a preocupação relacionada a duas pessoas de Bilua, novas em reuniões on-line, realizando revisões com consultores desconhecidos. Entretanto, com muita oração, e interações regulares com os consultores, os membros da equipe de Bilua têm se tornado cada vez mais confortáveis expressando suas opiniões, permitindo que as revisões do consultor progridam sem problemas.

Embora a equipe estava verificando o texto de Bilua, as línguas usadas para a comunicação entre os membros da equipe são o inglês e pidgin, a língua vernacular usada nas Ilhas Salomão. Não consigo entender pidgin e conto com Debbie para a tradução. Entretanto, aprendi uma frase em pidgin! O computador usado pelos membros da equipe de Bilua muitas vezes entra em “modo de descanso”, o que significa que nós ficamos incapazes de vê-los no vídeo. Cada vez que isso acontecia, Debbie dizia mifala no lookim yu, que significa “Não podemos vê-los”. Jonah então ativa seu computador para que nós podamos vê-lo. Depois de ter ouvido esta frase por algum tempo, um dia quando seu computador novamente entrou em modo de descanso, eu disse “mifala no lookim yu”. Eu mal tinha completado a frase quando o riso podia ser ouvido vindo dos membros da equipe de Bilua, e em breve eles poderiam ser vistos. Suponho que a minha pronúncia não era muito precisa, e ficou engraçado.

Aprender através do processo

Uma mulher vende alface no Mercado Central de Honiara. Foto: Elyse Patten

Shan, a consultora de Cingapura, tem décadas de experiência realizando verificações de tradução da Bíblia. O resultado da revisão de consultores em Bilua seria definitivamente muito melhor com ela na equipe. Mas, para me dar oportunidade de crescimento, ela me permitiu tentar e me deu muito encorajamento e orientação ao longo do caminho. Antes de começarmos a revisão de consultores, eu estava ansiosa e preocupada de estragar tudo. Shan me disse: “Não se preocupe!” “Deus cuidará da Sua própria Palavra.” Na verdade, muitas vezes, durante todo o processo de revisão, senti o Espírito Santo abrir nossos olhos e nos levar a tomar nota de pontos importantes que precisavam de mudanças. Ao mesmo tempo, Shan muitas vezes me lembrou: “embora eu tenha algumas décadas de experiência na revisão, eu abordo cada uma delas com medo e tremor, porque estamos lidando com a Palavra de Deus. Acho que a abordagem certa é a humilde confiança em Deus.”

Padrões Elevados

Revisão de consultores para a tradução de Reis em Bilua é apenas um pequeno passo nos planos da Aliança para verificações de tradução. Fazer as revisões on-line reduz significativamente o custo e permite a participação de mais consultores em mais locais—aumentando assim o nível das revisões. Com base na experiência com a tradução em Bilua, o departamento do Programa de Serviços Linguísticos Ásia-Pacífico estabeleceu alguns princípios orientadores e políticas para ajudar os futuros esforços de cooperação em revisão de consultores na região Ásia-Pacífico.

Um jovem rapaz das Ilhas Salomão. Foto: Marc Ewell

Embora a tradução do Antigo Testamento em Bilua tenha sido redigida há muito tempo, apenas 5 por cento do material foi verificado pelos consultores até agora. As organizações da Aliança que participaram desta rodada de cooperação estão felizes em continuar ajudando com a tradução em Bilua, embora o projeto ainda precisa da participação de muitos consultores. Esperamos que a revisão da tradução do Antigo Testamento em Bilua possa ser concluída nos próximos anos para que ele possa ser oficialmente publicado.

Países da Ásia-Pacífico, como as Ilhas Salomão, Índia e Indonésia, ainda têm muitos projetos completos de traduções do Antigo e do Novo Testamento aguardando a revisão de consultores. A Aliança espera mais esforços cooperativos para revisar as traduções da Bíblia para que possam ser utilizadas nas igrejas locais.

 

As organizações da Aliança podem baixar as imagens desta história.

Fórum Europeu de Comunicações torna-se Global

Nem todas as 120 organizações Aliança Global Wycliffe têm o luxo d...

Read more

Lendo a Palavra de Deus juntos

Ayu Suwandi, o Diretora do PPA. Palavra de Deus – a fonte da vid...

Read more

Ilha Bantayan: uma bela ilha, todavia sem sua própria Bíblia.

Ilha Bantayan: uma bela ilha, todavia sem sua própria Bíblia da Ali...

Read more