Visão, Metas e a Aliança

Uma mensagem de Stephen Coertze, Diretor Executivo, Aliança Global Wycliffe

 

Caros amigos:

As redes e até mesmo a mídia de notícias, espalham a conversa de novas visões coletivas para o movimento de tradução da Bíblia. Enquanto isso, pessoas em algumas organizações individuais ao redor do mundo, estão se perguntando: Espera, o quê? Isto é uma diretiva? Fazemos parte disso?

À medida que novas organizações parceiras – formais e informais – se juntam à tradução bíblica, o nosso movimento se torna cada vez mais complexo. Missões, visões, metas e até mesmo redes podem se sobrepor. Por exemplo: duas organizações da Aliança Global Wycliffe também fazem parte do Every Tribe Every Nation (ETEN) — que se definem como “uma aliança de impacto coletivo, de parceiros de tradução da Bíblia e parceiros de recursos, trabalhando juntos para erradicar a pobreza Bíblica nesta geração”. Dez organizações de tradução da Bíblia, juntamente com parceiros filantropos, fazem parte da ETEN. Os mesmos 10 são também parte dos illumiNations—que ETEN chama de “plataforma de convocação para o movimento de tradução da Bíblia”.” De acordo com a ETEN, pode-se pensar em illumiNations como “um nome externo para descrever o que Deus está fazendo mundialmente por meio do impacto coletivo.”

São muitas alianças, organizações, parceiros e definições para acompanhar.

Além de tudo isso, comemorações mundiais já estão sendo planejadas para 2033, como o 2000° aniversário da morte e ressurreição de Jesus (e sim, todos os envolvidos sabem que nosso calendário pode estar equivocado por vários anos). A ETEN e illumiNations abraçaram uma iniciativa chamada All-Access Goals 2033: Até aquele ano, eles desejam ver pelo menos uma parte da Bíblia traduzida para todos os idiomas que ainda precisam dela. Enquanto isso, outras organizações ou redes ao redor do mundo, anunciam iniciativas como: Visão 2025, Visão 2033, OBT 1000 e Visão 2050.

Tentar entender como tudo isso se encaixa, pode ser desafiador. A clareza pode ser encontrada na medida em que respondemos a duas questões-chave:

  • O que a Aliança Global Wycliffe é e não é; e
  • A diferença entre uma declaração de visão e metas.

Propósito e missão

A Aliança é composta por quase 120 organizações unidas por um conjunto de valores partilhados e um acordo, ou convênio, de como vamos trabalhar em conjunto. Esses são bem sintetizados em nossa declaração de missão, propósito e visão.

A nossa Declaração de missão diz o que fazemos: Em comu­nhão com Deus e dentro da co­mu­nidade da Sua Igreja, a Aliança Global Wy­cliffe con­tribui para a trans­for­ma­ção holís­tica da lin­guagem das comu­ni­dades linguísticas ao redor do ­mundo.

Nossa Declaração de propósito declara quem somos e como cumprimos a nossa missão: Como uma comu­nidade de par­tic­i­pantes na missão de Deus­, a Al­iança Global Wycliffe of­erece lide­rança­, in­flu­ência e ser­viço dentro dos movimentos de tra­du­ção da Bíblia.

Visão

Todas essas iniciativas dignas de “visão” com um ano vinculado a elas são metas: em um ano específico, um objetivo específico será alcançado. Os objetivos são bons. Eles nos motivam. Às vezes, eles atualizam nossa visão mais ampla. Elas certamente constroem entusiasmo e motivam parceiros financeiros. Mas não são universais. Esses termos e frases podem ser o foco de algumas organizações de tradução da Bíblia, e não estar nem no radar de outras. Na superfície, alguns desses objetivos podem até parecer competir uns contra os outros.

Os objetivos refletem uma visão comum no movimento de tradução da Bíblia: um futuro coletivo e desejado, quando todas as pessoas tiverem acesso a todos os conselhos das Escrituras. A declaração de visão da Aliança Global Wycliffe diz: In­di­víd­u­os, com­un­id­ades e na­ções trans­formadas por meio do amor de Deus e da Palavra ex­pressa em seu idi­oma e cultura. Em suma, a tradução da Bíblia é o porquê de a Aliança existir.

A visão da Aliança deliberadamente não é específica, e não é dirigida por qualquer outra organização ou grupo. Não listamos tarefas e objetivos que todas as organizações da Aliança precisam cumprir, ou objetivos universais a serem alcançados até uma determinada data. Cada organização tem a liberdade de fazer sua própria e única contribuição para o movimento. Como cada organização realiza a visão da Aliança, depende do que Deus lhes dá para fazer e as chama a ser. Isso inclui servir em união em várias capacidades e configurações. Muitas partes, um corpo.

Nenhuma organização da Aliança deve desejar ser qualquer outra quando “crescer.” Na Aliança, nenhuma intenção missional é imposta a qualquer organização, além da ampla categoria de trabalho na tradução bíblica. A ideia de adotar a visão de outra pessoa pode ser atraente e, em alguns casos, é certamente adequada. Mas lembre-se: Deus fala a todos nós, e não somos todos chamados a ser a mesma coisa. É fácil aderir a visão empolgante de outra pessoa, mas não como um substituto para ouvir o que Deus tem reservado para cada um de nós em nosso contexto particular. A Aliança inclui uma enorme diversidade de organizações, e todas têm outras afiliações também. Portanto, faz sentido que cada uma tenha uma visão distinta e declaração de missão, propósito, meta e estratégia, todas sendo compatíveis com as Declarações Fundamentais Da Aliança. Então, a partir dessas declarações, cresce a intenção missional: descobrir onde e como Deus deseja que concentremos nosso coração, mente e ações.

Terreno comum

Algumas dessas declarações fundamentais podem ser compartilhadas entre um subgrupo de organizações da Aliança, ou mesmo entre redes. O All-Access Goals 2033 é um exemplo. A iniciativa é atualmente compartilhada por 10 organizações no movimento illumiNations, que surgiu pela primeira vez entre os parceiros norte-americanos de tradução bíblica e filantropia. Hoje, o movimento está se expandindo na Ásia, no sul da África e no Reino Unido. Uma visão como essa certamente poderia ser reconhecida e/ou afirmada por outras organizações da Aliança, se assim o desejassem. Mas não há nenhum requisito.

Outro exemplo seria a Visão 2025, adotada pelas organizações Wycliffe e SIL em 1999. A maioria das organizações atuais da Wycliffe, se juntou ao que agora é a Aliança Global depois que essa visão foi introduzida. Algumas organizações a promoveram como uma importante ferramenta motivacional com seus constituintes e seu próprio pessoal, enquanto outras não. A própria Aliança abraça a visão 2025 e celebrará esta influência no movimento em 2025. Mas, mais uma vez, nunca foi exigido que as organizações da Aliança adotassem isso individualmente.

Eu sei que tudo isso leva tempo para entender. Por vezes, pode até parecer que um certo número de organizações ou redes concorrem pelo mesmo terreno — o que me parece errado. Situações em que ocorre a percepção da competição, exige uma conversa imediata, oração e espaço para fazer perguntas e ouvir todas as perspectivas.

No final de contas, todos estamos fazendo o trabalho do reino e nos apoiando em Deus para orientação. Em nossa comunidade de organizações, abraçamos e prosseguimos com o propósito, missão e visão que Ele colocou à nossa frente. Às vezes, isso pode ser algo comum e deve ser comemorado. Muitas vezes são específicas de organizações, pessoas e lugares. Essas também devem ser celebradas, pois são tão diversas quanto o mundo a que servimos.

Na Graça de Deus,

Stephen Coertze
Diretor Executivo

 

As organizações da Aliança podem baixar as imagens desse artigo.

Se quiser continuar a discutir esse assunto, por favor, entre em contato com o seu diretor de área.

 

Pavimentando o caminho 

Duncan Kasokason, o primeiro consultor nacional da Associação de tradução da Bíblia de Papua-Nova Guiné, conta como alcançou este marco e sobre o seu desejo de ajudar a treinar outros tradutores. 

Read more

Através dos Olhos de um Consultor: Um Vislumbre da Tradução Oral da Bíblia

Evelyn Gan atua como consultora de tradução da B...

Read more

A tradução oral da Bíblia passa para o primeiro plano

Hoje, nenhuma conversa sobre o movimento global de...

Read more