Quando uma necessidade encontra uma paixão

– A Experiência de Imersão em Inglês (EIE) e muito mais

“Como a Wycliffe Austrália, como uma organização missionária ocidental, pode ajudar Kartidaya?”

Barry Borneman, então diretor executivo da Wycliffe Austrália, fez esta pergunta a seu colega de quarto, Marnix Riupassa, então diretor executivo da Kartidaya, durante uma conferência da Wycliffe em Bangkok, em 2012. Nenhum dos dois esperava que a resposta se desenvolvesse em um programa anual de aprendizado de inglês que nem mesmo a COVID-19 poderia impedir.

Nascido De Uma Paixão Sincera

Como líder da Kartidaya, uma organização da Aliança na Indonésia, a resposta de Marnix a Barry foi que sua equipe precisava de um melhor domínio do inglês para fazer bem seu trabalho – para escrever e-mails e relatórios, organizar viagens para consultores que não falavam indonésio e acessar comentários em inglês.

Para Kartidaya, o programa foi uma resposta. Para a Wycliffe Australia, foi uma paixão sincera. Marg Borneman, esposa de Barry, que dirige o programa, disse que uma das paixões da Wycliffe Austrália é capacitar as organizações nacionais de tradução da Bíblia. Para Marg, que tem experiência no ensino de inglês, o programa é muito mais do que isso.

A “Experiência de Imersão em Inglês” (EIE) permite que os participantes aprimorem seu inglês por estarem imersos nele – vivendo em um contexto de inglês e aprendendo com falantes nativos.

Marg Borneman (à esquerda na frente) e a classe EIE 2016 de Vanuatu e Indonésia em Kangaroo Ground. (Fileira de trás, da esquerda para a direita: Pastor Joshua do TLP [Translation Literacy Program], Marcel do YMP3 e Kalite do TLP. Fileira da frente, da esquerda para a direita: Marg, Pastor Ola, do GPM, Isma of Kartidaya e Raewyn da SIL Australia.)
Foto: Rod Jones

“Foi uma grande oportunidade de imersão no inglês, construindo a confiança dos participantes por meio do compartilhamento de vida e histórias de família, trabalho e fé uns com os outros, funcionários da Wycliffe e anfitriões em casa de família, e participando das aulas de inglês na igreja”, disse Marg.

O programa começou em 2012. A cada ano, a experiência foi enriquecida de maneiras diferentes, como a participação em um curso de treinamento TESOL, Casa Aberta da Wycliffe, cursos da Wycliffe sobre ministério transcultural e oficinas de planejamento de programa.

Desejo Comum Entre Os Participantes

Ao longo dos anos, 22 obreiros cristãos nacionais se beneficiaram do programa, patrocinado pela Wycliffe Australia em seu Centro Nacional em Kangaroo Ground, nos arredores de Melbourne. Além da Indonésia, os participantes vieram das Ilhas Salomão, Vanuatu e Timor Leste.

2017 EIE participants from Vanuatu and Indonesia in the classroom at Kangaroo Ground.
Participantes do EIE de 2017 de Vanuatu e Indonésia na sala de aula do Kangaroo Ground.
(Da esquerda para a direita: Elsy, de YPMK Kaleb Yosua, Padre Norman, do TLP, Pastor Mon, do GPM, e Ocha, do GPM.)
Foto: Marg Borneman

Embora esses participantes tenham funções diferentes em distintos países – tradutores da Bíblia, pastores, obreiros de engajamento das Escrituras, equipe de administração – eles compartilham o desejo de ver as Escrituras traduzidas para as línguas do coração de suas nações. O programa também foi uma oportunidade de experimentar as culturas uns dos outros e, portanto, entender melhor uns aos outros

Benefícios Mútuos

Como membro da equipe de Kartidaya, Netty Manalu participou do EIE em 2019. Enquanto estava lá em Kangaroo Ground, ela permaneceu na mesma unidade com seus mentores, Marg e Barry.

“Eles não sabiam minha língua, então isso me incentivou a falar inglês”, disse Netty. Embora não tenha sido fácil, ela aprendeu rapidamente, “não apenas inglês, mas também a cultura [australiana] e o clima deles”.

Karyadi Antonius, outra participante do EIE de Kartidaya, também achou as experiências benéficas. Karyadi ingressou no programa em 2015. Ele agora atua como diretor executivo da Kartidaya.

“Foi uma boa oportunidade para melhorar meu inglês. Agora estou mais confiante em falar inglês e mais familiarizado com a cultura de falar inglês”, disse ele. “Com o EIE, eu poderia aprender inglês dentro e fora da ‘sala de aula’.”

Trabalhando como recepcionista para a Wycliffe Australia, Mary Keef se juntou ao programa como mentora.

“Conhecer os participantes foi muito gratificante e muito encorajador”, ela disse. “Ver sua disposição de tentar e seu desejo de aprender foi maravilhoso … Eles são tão devotos ao Senhor e comprometidos com a tradução da Bíblia … dando de si mesmos em abundância”.

Quando a Covid-19 se Tornou Pano de Fundo Mundial

Desde 2012, Marg estava ansiosa para apoiar os participantes com seu inglês, depois que eles voltaram para casa. Isso tinha sido difícil devido a outras responsabilidades, mas a chance finalmente apareceu em 2020.

Christine Franklin, professora de EOE que participa de uma sessão de EOE no Zoom durante a pandemia. Sua bandeira australiana estava lá para mostrar algo de seu país.
Foto: Kirk Franklin

Depois que a COVID-19 apareceu no cenário mundial e o Zoom se tornou parte do trabalho e da vida diária, Marg e sua equipe decidiram executar a primeira versão virtual do EIE neste verão – English Online Experience (EOE). O programa de seis semanas teve onze participantes, incluindo um tradutor do Timor Leste e dez que trabalham com Kartidaya. Cinco dos professores trabalham com a Wycliffe Australia, um com a SIL Australia e o sétimo apoia a Wycliffe Australia. O grupo se reuniu uma vez por semana a partir de agosto. Cada sessão de 90 minutos incluiu três grupos – a classe inteira, pequenos grupos separados e, às vezes, os participantes se reuniram individualmente com seus professores. Para o dever de casa, os participantes conversaram com seus instrutores por e-mail e WhatsApp.
Vários participantes disseram que o EOE não era apenas o aprendizado de um idioma, mas também um “companheirismo de inglês online”, porque um elemento-chave do programa era nutrir o crescimento espiritual juntos. Houve sessões de reflexão e discussão sobre a Palavra de Deus e oração.

Para alguns, o EOE foi particularmente uma bênção porque era virtual.

“Por causa da minha área de trabalho em finanças, é impossível para mim deixar meu trabalho por muito tempo para fazer um curso de inglês”, disse Anita Chandra, do Kartidaya. Ainda assim, por meio do Zoom e do WhatsApp, ela pôde praticar com seu instrutor sem sair do país e do seu trabalho.

Helene Savage, uma assistente de RH da Wycliffe Australia, fez um curso TESOL online. O EOE proporcionou-lhe uma grande oportunidade de observar como uma aula é conduzida e também de praticar ela mesma as sessões de ensino. Ela também amou conhecer os colegas indonésios.

“A melhor parte foi a doce comunhão”, disse Helene. “Parecia que éramos uma grande família e, ao final das seis sessões, mesmo os mais tímidos para falar inglês pareciam muito mais confiantes e confortáveis.”

Devido a restrições a viagens internacionais devido à pandemia, a EIE presencial pode não acontecer em breve. Ainda assim, a necessidade desses trabalhadores nacionais por um inglês melhor e a paixão da Wycliffe Australia em ajudar se tornaram uma forte motivação para manter o programa em andamento.

“Planejamos oferecer várias opções de suporte contínuo em inglês para este grupo, bem como realizar o EOE2 no início do próximo ano com outro grupo de participantes”, disse Marg. “Estamos ansiosos para construir nossos relacionamentos em um nível pessoal e organizacional e ver quais frutos, além do aprimoramento do inglês, Deus tem para nós no futuro.”

História: Ling Lam

Novos Marcos na Disponibilidade das Escrituras Digitais

Nos últimos anos, tem-se visto um aumento significativo e constante n...

Read more

Quem Melhor Do Que Deus Para Dar Nosso Melhor?

Quem melhor do que Deus para dar nosso melhor? da Aliança Global Wyc...

Read more

Um lugar seguro para compartilhar a jornada

“Essa comunidade é como um ponto de partida para nos incentivar a i...

Read more