Em Moçambique, a tradução promove união

Mesmo antes de um único versículo ser traduzido, um projeto de tradução da Bíblia para um pequeno grupo de idiomas, em Moçambique, está impactando toda uma região desta nação africana.

Com apenas 14.000 falantes, o phimbe é um dos vários idiomas falados no distrito de Maravia, no noroeste de Moçambique, limitado pelo rio Zambeze ao sul e Zâmbia ao norte. Um outro idioma é o chinyanja, ou chicewa, sendo falado mais amplamente em várias regiões e fronteiras nacionais.

Assim como outros grupos linguísticos nas áreas fronteiriças, o povo Phimbe migrou para a Zâmbia ou Malawi durante a Guerra Civil de Moçambique (1977-92). Foi durante esses anos que a Bíblia no idioma chicewa foi encontrada pela primeira vez pelo povo Phimbe.

“Quando a guerra terminou, eles voltaram para sua terra natal com o evangelho, mas no idioma estrangeiro e não no idioma do coração deles”, diz Bonifacio (Boni) Paulo, chefe dos Serviços de Tradução da Wycliffe África do Sul.

Identificando parceiros

Três décadas depois, a tradução da Bíblia está finalmente prestes a começar entre o povo Phimbe.

Bonifacio Paulo

Em maio de 2022, Boni e sua esposa, Busie, se reuniram com pastores locais e líderes da igreja para uma reunião na vila de Maravia para discutir o início de um projeto de tradução com o povo Phimbe. Foi o segundo encontro desse tipo em que os tradutores denominaram de fase de pesquisa e prontidão, e que pode levar dois ou três anos, definindo a necessidade e identificando o “parceiro de impacto”.

Igrejas denominacionais na área normalmente trabalham de forma independente e autônoma, então Boni não tinha certeza qual tipo de resposta esperar. Para sua alegria, 11 pessoas de 10 denominações compareceram. Apenas dois eram Phimbe; o resto era de outras comunidades linguísticas.

“Então, para esses líderes e pastores de fora alcançarem a comunidade Phimbe sem as Escrituras no idioma do coração deles é muito difícil”, diz Boni. “Foi assim que esses pastores de fora sentiram a necessidade de traduzir a Bíblia para o phimbe.”

Na reunião de maio, os falantes de Phimbe comentaram que nunca pensaram que seu idioma fosse importante o suficiente para ter as Escrituras.

“Eles achavam que a Bíblia tinha que estar nos idiomas de comunicação mais ampla”, diz Boni. “Eles até perguntaram, como a Bíblia poderia ser traduzida para um idioma oral?”

A tradução oral da Bíblia (TOB) é uma abordagem cada vez mais comum para os idiomas ainda sem Bíblia. Como mais de 90% das pessoas de Phimbe não sabem ler nem escrever, os parceiros já decidiram que os primeiros três anos deste projeto serão por meio da TOB. Depois disso, eles determinarão se devem buscar uma tradução escrita também, ou continuar com a TOB.

“O que nos encorajou é que os líderes e pastores da igreja viram isso como uma necessidade”, diz Boni. “Além disso, sentimos que eles estão se apropriando desde o estágio da conversa e do planejamento”.

Embora tenham ajudado a organizar as reuniões iniciais, a abordagem da Wycliffe África do Sul para os novos projetos de idiomas é servir as igrejas locais, não dar ordens, diz Boni.

“Nós somos os convidados e eles são os anfitriões”.

Unidade sem precedentes

Após a reunião, um pastor veio até Boni. “Eu nunca vi isso acontecer”, disse ele, referindo-se à reunião de tantos pastores e líderes de igrejas de tantas denominações.

“Era o sentimento de todo o grupo”, diz Boni, “que eles nunca haviam se reunido para abordar um objetivo comum como naquela reunião. Isto é o que eles disseram: ‘Este projeto está vindo não apenas para traduzir a Bíblia em Phimbe, mas também para nos unir’”.

No dia seguinte, o mesmo pastor ligou para Boni para lhe dizer que o grupo estava a caminho de uma montanha próxima para orar juntos – pelo projeto, por suas igrejas e pela vida deles.

Isso também nunca havia acontecido antes.

“Acho que quando os princípios da estrutura comum são levados a sério, é isso o que acontece”, diz Boni, referindo-se ao conjunto de princípios compartilhado por várias organizações de tradução da Bíblia. Em particular, ele mencionou os princípios de parceria e impacto acelerado.

“Em parceria, primeiro tentamos procurar e nos envolver com a igreja antes de pensar em qualquer outra expressão da igreja”, diz ele. “Por igreja não quero dizer uma denominação em particular, mas o corpo de Cristo. À medida que nos envolvemos com a igreja, não esperamos que o produto final – a Bíblia traduzida – comece a medir o impacto. Em vez disso, criamos estratégias de forma que, mesmo nas reuniões de parceria ou pesquisas linguísticas, possamos ver qualquer tipo de impacto na vida dos indivíduos ou das comunidades.

Os parceiros da igreja local se reunirão novamente no final deste ano para decidir o prazo do projeto, com um início potencial na primavera de 2023.

•••

História: Jim Killam, Aliança Global Wycliffe

As organizações Aliança podem baixar e usar as imagens deste artigo.

Dentro e por meio de uma pequena comunidade

A conclusão da Bíblia em barlig tornou-se uma bênção para outra comunidade linguística que precisa da Palavra de Deus nas Filipinas.

Leia mais

A jornada da tradução da Bíblia

Como a Bíblia é traduzida para outro idioma? A equipe de tradução e a comunidade de Bantayanon em parceria com a Wycliffe Filipinas, nos dá o roteiro de como a tradução da Bíblia é feita. Essa curta viagem mostrará algumas partes das escrituras traduzidas para o idioma Bantayanon, e responderá algumas perguntas frequente sobre este ministério.

Leia mais

As organizações da Aliança continuam focadas na Ucrânia

Agora, em seu quinto mês, a guerra na Ucrânia co...

Leia mais